Esgotou

Não consigo mais ser aquela que assiste, que imagina como deve ser, está na minha hora de sentir!

Fui reijeitada duas vezes em um ano, as duas vezes que mais me encantei. Uma foi diferente da outra como é de se imaginar, a primeira foi a decepção de um sonho, uma completa desilusão, já a segunda… fui enganada. Recebi olhares, toques, flertes, carinho, para no final ser só “pegação”.

Nesse mesmo ano, me senti de lado pela família, precisei me mostrar mais forte para família e fiquei mais ausente para ela.

No colégio, além de ver aquele q me enganou junto com seu novo amor, fiquei exausta, doente, nervosa, triste e tinha que estar mais presente do que nunca, para que no final, não tenha conquistado minhas metas.

Esse ano foi o pior da minha vida. Amor. Família. Estudos. Todos.

Torço para que essa seja a finalização de uma etapa, de uma Fernanda, que todos esses fracassos não me assombrem. Hoje, triste com tudo isso, tenho esperança que nada disso me preocupará mais.

Anúncios

Eu quero sinceridade: dos outros comigo e de meu subconsciênte comigo. Odeio ter que lutar para entende-los.

Sobre os outros, por que mentem? Por que não falam tudo de uma vez?

Sobre mim, como posso me enganar? Como posso esconder sentimentos de mim mesma?

Manias estranhas.

Por que nada pode facilitar? A vida é realmente para aqueles que são fortes?

Ao escrever essa última frase, me perdi em meus conceitos. Para mim, a vida não é um merecimento, não é uma etapa, é apenas  a junção dos eventos biológicos, químicos e físicos. Se a vida fosse mesmo para os que a aguentarem, ela teria algum sentido, algum porquê, mas não acredito nisso…

Me veio agora na cabeça, que mais uma vez, minha mente, mente para mim. Ela me enrola com termos como: destino.

Por que nós homens precisamos de fé?